Foto ilustrativa Pixabay

Em carta publicada no site da Sindipetro, caminhoneiros protestam contra a política de preços dos combustíveis adotada pela Petrobras. Após assembléia, decidiram pelo apoio à greve dos petroleiros.

Leia mais na Fórum

A Associação Nacional dos Transportadores Autônomos do Brasil (ANTB) anunciou no sábado (15) que a categoria adere e presta total apoio à greve nacional dos petroleiros, que já dura mais de 15 dias e paralisou 114 unidades do sistema Petrobras. São mais de 20.000 trabalhadores. Em carta publicada no site da Sindipetro, os caminhoneiros lançam, ainda, uma campanha para avançar na luta contra a política de preços dos combustíveis da Petrobras.

A carta foi enviada ao presidente Jair Bolsonaro e aos 27 governadores do País. Nela, a associação critica o uso do PPI (Preço de Paridade de Importação) para regular os preços dos combustíveis. “Uma empresa adotar uma política de auto flagelo, entregando deliberadamente seu mercado aos concorrentes é inaceitável e criminoso”, garante o comunicado.

Segundo o presidente da ANTB, José Roberto Stringasci, a política de preços é um assunto que “precisa ser discutido com toda a sociedade, que é afetada em todos os setores por causa dos altos preços dos combustíveis. E se nós temos o petróleo e a Petrobras, não é possível mais aceitarmos essa cobrança inadequada na bomba”.


Atualizando:
Greve dos petroleiros cresce e já paralisa todas as plataformas do litoral paulista
Leia mais no 247
Leia a carta completa