Fabiano Contaratoi (REDE-ES)
Contra fatos não há argumentos. Contarato mostra a Moro o que é conhecer Direito


A expressão, simples, objetiva, singela, mas majestosa, foi empregada pelo senador Fabiano Contarato (REDE-ES), na sabatina de Moro no senado, ontem, 19 de junho. 

“Violou-se o princípio da imparcialidade, a ética, a Constituição Federal, o Código de Processo Penal, a Lei da Magistratura e a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Fui delegado de polícia, 27 anos. Se eu fizesse contato com as partes de um inquérito por WhatsApp, como delegado, e se isso chegasse ao conhecimento do Ministério Público, ou mesmo do Judiciário, eu acho que sairia preso da delegacia”.


Enquanto isso, afetos de Moro explicavam – muitos pavoneando-se para as câmeras e alguns com mais desenvoltura e convicção do que o próprio – que o Juiz/ministro e seu “ajudante de ofícios” não haviam cometido crime algum.


Leia também: