Dodge peticiona contra HC de Lula ao STF
Dodge peticiona ao STF contra HC de Lula e usa Intercept como argumento

Dodge peticiona contra Lula
e manifesta-se ao STF pedindo
a rejeição de habeas corpus.
Para ela, o vazamento do Intercept 
supostamente tem origem criminosa e não 
serve para beneficiar Lula em 
julgamento marcado para o dia 25/6

DO GGN – A procuradora-geral da República Raquel Dodge enviou ao STF, (21/06), petição em que se manifesta pela rejeição do habeas corpus do ex-presidente Lula, que deve ser apreciado pela Segunda Turma da Corte na próxima terça-feira (25).

Contra Lula, a PGR reproduziu o discurso defensivo de Sergio Moro e dos procuradores da Lava Jato para tangenciar as recentes revelações do Intercept: tese de que as conversas vazadas são fruto de um “crime em andamento”, e não há provas de que sejam autênticas.

Sem investigação e auditoria, afirmou Dodge, o dossiê não pode servir para provar a suspeição de Moro no julgamento do HC.

Na visão da defesa de Lula, Dodge usa argumento equivocado, ao tratar o HC como se fosse recurso centrado apenas no vazamento do Intercept.

Na visão da defesa de Lula,
Dodge usa um argumento equivocado,
pois trata o habeas corpus como se
fosse um recurso centrado apenas
no vazamento do Intercept.

“É que o material publicado pelo site The Intercept Brasil, a que se refere a petição feita pela defesa do paciente, ainda não foi apresentado às autoridades públicas para que sua integridade seja aferida. Diante disso, a sua autenticidade não foi analisada e muito menos confirmada”, escreveu a procuradora.

“É possível que, com o furto e uso de identidade [de procuradores da República], tais mensagens tenham sido adulteradas ou de alguma forma manipuladas. Trata-se de grave e criminoso atentado contra o Estado e suas instituições, que está sob a devida apuração pelos órgãos competentes”, acrescentou.

Segundo a defesa de Lula, Dodge usa um argumento equivocado, pois trata o habeas corpus como se fosse um recurso centrado apenas no vazamento do Intercept.

Dodge peticiona contra Lula

“Referido habeas corpus, que começou a ser julgado pela Suprema Corte em 04/12/2018 — muito antes, portanto, das reportagens do Intercept — mostra que o ex-juiz Sérgio Moro ‘sempre revelou interesse na condução do processo e no seu desfecho’ a partir de fatos concretos que estão descritos e comprovados naquele requerimento”, diz petição enviada ao GGN.

O HC 164.493 foi impetrado no STF em 5 de novembro de 2018, e recolocado nem pauta neste mês, por decisão do ministro Gilmar Mendes, que havia feito um pedido de vista. Dois ministros  – Cármen Lúcia e Edson Fachin – já votaram contra o recurso do ex-presidente. Faltam votar, no entanto, Gilmar, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello.

Leia também