Impolutos, lambidos e atléticos
Carlos Roberto Winckler

Impolutos lambidos e atléticos

Juiz Moro instruindo procuradores sobre como atacar Lula na imprensa, após ouvir “showzinho” da defesa, corrobora que tudo estava bem articulado. Possíveis diálogos entre Moro e juízes do TRF4 podem vir a seguir. Bastaria um intermediário de boa vontade.

O presidente do TRF4, à época desembargador Thompson, afirmou ter gostado da sentença imposta a Lula, mesmo sem lê-la. Um visionário das letras jurídicas! Por sua vez, os três lambidos, capitaneados pelo agora quase invisível revisor Gebran, encarregados de julgar o recurso da defesa de Lula, mostraram imensa capacidade em ler celeremente milhares de páginas e destilar os mesmos votos, provavelmente com alguma ajuda mediúnica sediada em Curitiba. Para tanto, efetivou-se um milagre administrativo, que revelou o preparo atlético de suas excelências em corrida de obstáculos: mais de duzentos processos na fila de espera foram ultrapassados.


Taclan Duran, advogado de diretor da Odebrecht, tratou
de refugiar-se na Espanha. Jamais foi ouvido.
E bem que tentou. Segundo a justiça,
havia imensas dificuldades em localizá-lo,
apesar de ter endereço certo e
sabido naquele país.

E o escritório de advocacia de Zucolotto (em Curitiba) – padrinho de casamento do ilustre casal Moro –, repentinamente especializado em delações e que insinuava, com pagamento de modesta quantia, transmutar as penas em um quase retiro espiritual em lugar mais aprazível, após brevíssimo padecer prisional? Óbvio que sob a condição de delação que trouxesse, se possível, indícios de malfeitos de Lula.

Mesmo a simples palavra enfática, peremptória, com o cenho sobrecarregado, pelo jeito bastava. Taclan Duran, advogado de diretor da Odebrecht, acossado por generosa proposta do referido escritório, tratou de refugiar-se na Espanha. Jamais foi ouvido. E bem que tentou. Teria também muito a explicar, inclusive sobre a suposta adulteração das famosas planilhas das propinas. Segundo a justiça, havia imensas dificuldades em localizá-lo, apesar de ter endereço certo e sabido naquele país. Serão esses os próximos passos das revelações? Ansiosos aguardamos.

Impolutos, lambidos e atléticos.

A segurança imprescindível, geopolítica e humor nacional
Violência mútua
Conspirações anarquistas no aparato jurídico?
Trompetes da união
O esfarrapado e os rotos
O perfeito fingidor

Carlos Roberto Winckler
Professor de Sociologia

Pesquisador aposentado pela FEE.