Vale a leitura do texto publicado pelo jornalista Ricardo Kotscho, em seu blog: Balaio de gatos.

Com o título “Fraude e deboche: pesquisa fajuta Globo/Ibope é maior escândalo da eleição”, Ricardo Kotscho faz uma bela análise do comportamento da emissora em importantes momentos da política nacional (episódios relacionados a eleições).

Fraude e deboche: pesquisa fajuta Globo/Ibope é maior escândalo da eleição

Primeiro, anunciaram a divulgação da nova pesquisa presidencial Globo/Ibope para a noite de terça-feira.

Na última hora, porém, ao conhecer os resultados, que não atendiam aos seus interesses, resolveram adiar o anúncio, alegando que precisavam consultar antes o Tribunal Superior Eleitoral.

Eram duas pesquisas: uma com o nome de Lula e outra com Fernando Haddad no lugar dele.

Em notas oficiais, Globo e Ibope justificaram o adiamento pela decisão do TSE de barrar a candidatura de Lula, na madrugada de sábado passado, após o registro da pesquisa Ibope na Justiça Eleitoral

Só que o TSE lavou as mãos e devolveu a bola para as empresas.

E o que fizeram Globo e Ibope?

Sem aviso prévio, colocaram no ar, às pressas, na noite de quarta-feira, apenas a pesquisa sem Lula e sem a indicação dos partidos dos candidatos, assim mesmo, a seco, sem maiores explicações.

O apresentador do jornal das 20 horas da Globo News interrompeu uma comentarista e passou a ler um comunicado da emissora, com a gravidade de quem está anunciando um novo Ato Institucional Nº 5.

Em seguida, leu nos gráficos os números da pesquisa sem Lula, em que Haddad aparece com 6%, para passar logo a palavra aos comentaristas, que deitaram e rolaram, eufóricos com o resultado.

Era como se Lula tivesse sido simplesmente tirado da tomada, não se falou mais nele. (Leitura completa)