Pronunciamento de Bolsonaro durou sete minutos
Carlos Roberto Winckler

Pronunciamento de Bolsonaro durou sete minutos – Com dificuldade, procurou mostrar compaixão e respeito pelas vítimas do Covid. Não bastasse a dificuldade de leitura, lembrava, na tensão muscular, aqueles bonecos que assumem vida em filmes B norte-americanos e acabam por cometer barbaridades.

Foi além, distorcendo palavras do diretor da OMS, Tedros Adhanam, ao dizer que esse defendia o retorno ao trabalho. Talvez essa emoção dure até a próxima entrevista aos jornalistas no cercadinho em frente ao Palácio. Sabe-se lá o que a madrugada produz naquela mente, sentindo-se traído por tudo e todos. Pois esse é o fato.

A festa é do sistema financeiro. Quem
de nós não recebeu, em algum
momento, telefonemas
piedosos oferecendo empréstimos?

Moro, Guedes, Mandetta e o general Braga Netto bem que tentaram mostrar alguma racionalidade e capacidade de planejamento. Efetivamente, o que se tem? As medidas anunciadas há alguns dias em defesa de empresas e garantia de salário e emprego por três meses não saíram do papel. Os bancos receberam recursos para os empréstimos, mas onde estão as instruções de como viabilizá-los?

A festa é do sistema financeiro. Quem de nós não recebeu, em algum momento, telefonemas piedosos oferecendo empréstimos? Mas ai do pequeno ou médio empresário que busque recursos. As gerências não sabem dizer em que termos se darão os repasses, mas estão muitíssimo bem instruídas na exigência de garantias reais de um possível empréstimo com juros escorchantes.

Guedes, na entrevista, se
limita a dizer que tudo está
resolvido, com ar de sonso,
em fim de festa, mais preocupado
em tosquiar, pela omissão,
enquanto for possível.

Enquanto isso, Guedes, na entrevista, se limita a dizer que tudo está resolvido, com ar de sonso, em fim de festa, mais preocupado em tosquiar, pela omissão, enquanto for possível. Quanto às medidas de renda básica aprovadas pelo Congresso, tudo que se tem é um cronograma a iniciar em meados do mês com aqueles que já têm Bolsa Família. Os últimos serão os trabalhadores informais – exatamente aqueles que Bolsonaro citou em seu pronunciamento tomado de emoção, com os quais cristãmente compartilhou perdigotos na periferia de Brasília. Cada qual compartilha o que pode, diria um cínico.

De efetivo mesmo tem-se o possível uso da Força Nacional na coerção de tumultos e saques, entre outras medidas meritórias de apoio logístico na distribuição de recursos no combate ao Covid. Na realidade, tudo muito coerente: procrastinação e repressão. Daí, o abatimento de Rodrigo Maia quase a implorar mais presteza. Mas em algum momento, ele foi capaz de veemência, de atitudes enérgicas ? Enquanto isso, apenas o Covid cumpre seu destino: ceifar a vida de brasileiros.

Pronunciamento de Bolsonaro durou sete minutos

Leia também: