O Instituto de Investigações Forenses (IDIF), alerta sobre dezenas de feridos após fortes repressões. A entidade registrou a morte de 10 pessoas.

Sofre o povo boliviano

Denúncias e pedidos de ajuda nas redes sociais, acompanhados de fotografias e vídeos, definem um massacre contra a população na noite de sexta-feira (15), nas proximidades da cidade de Cochabamba.

Forte repressão policial teria causado a morte de pelo menos quatro cidadãos, segundo informação da Telesur.

O Instituto de Investigações Forenses (IDIF), alerta sobre dezenas de feridos após fortes repressões. A entidade registrou a morte de 10 pessoas.

Nos quatro dias da autoproclamação da senadora Jeanine Áñez, que nomeou várias autoridades, pelo menos 15 pessoas morreram.

Eleições sem fraude

Os bolivianos continuam mobilizados com o golpe de estado que derrubou o presidente eleito Evo Morales. A população, nas ruas, não reconhece os novos dirigentes e exige eleições.

Um Relatório do Center for Economic and Policy Research (CEPR), com sede em Washington, sustenta que Estados Unidos e OEA são responsáveis pelo golpe na Bolívia por tentativa de boicotar vitória de Morales nas eleições. Não houve constatação de fraude na contagem das urnas ou na divulgação dos resultados ao contrário do que alardeou a OEA.




Um povo que não desiste



Leia também:
Pesquisa norte-americana rebate OEA
Atualização em 16/11/ 20:36
Sobe para oito o número de mortos pela ditadura boliviana